18 março, 2011

Percy Jackson e os Olimpianos



Sim, eu amo literatura infanto-juvenil, ainda mais se tiver uma pitada de aventura e fantasia. Por isso, me apaixonar pela história desse semi-deus chamado Percy Jackson não foi tão difícil assim.

Mal me lembro do porquê resolvi adquirir a saga escrita por Rick Riordan, ainda mais após todas as críticas feitas, pelo fato de o autor pretender entreter o próprio filho com as aventuras do semi-deus. Sei que comprei os quatro primeiros volumes [já que o quinto ainda não havia sido lançado] e acabei por deixá-los embalados e encostados por quase um ano em minha estante. Com o fim do curso e da correria da monografia, voltei a ler [como já disse no post sobre As Crônicas de Nárnia].

O Riordan construiu todo um novo universo acerca da mitologia grega. Aliás, eu até me arriscaria a dizer que, tudo isto que, geralmente, estudamos na escola só serve como um pano de fundo bem fundo, mesmo. Todos os personagens são permeados pelo humor e, mesmo as passagens mais tensas complicadas da história, têm sempre uma pitadinha de comédia, seja pelo modo de falar dos personagens, ou simplesmente pelo modo como tudo conspirou para que aquela situação ocorresse.

Um dos fatores interessantes da saga é que o autor sempre retoma os fatos anteriores nos livros seguintes. Uma forma muito legal de situar o leitor antigo [se se passar muito tempo entre a leitura de um e outro livro] e também o novo leitor [que, sei lá, de repente queira ler somente o livro dois, três e cinco, vamos dizer]. Além disso, os cinco livros são contados somente sob uma perspectiva: a do protagonista.

Percy Jackson descobre que é um semideus com 12 anos. Ele é, no mínimo, cômico. Mas, é interessante ver a evolução de um garotinho com TDAH para um verdadeiro herói [digno daquelas discussões de formação da imagem do herói e tudo o mais, sério] em apenas cinco livros. Ele é problemático, sabe disso e não esconde de ninguém. Filho do deus do mar, Poseidon, Percy se vê em várias situações embaraçosas e perigosas ao longo dos 4 anos que dura o período da narrativa de Riordan.

O fator romance também está presente no livro, como sempre, é claro. Gostei bastante da forma totalmente infantil como o autor tratou do tema: com toda aquela coisinha de amiguinhos que se batem e depois se amam. Tudo muito óbvio, mas também bastante fofo e leve. Claro que eu preferia mil vezes que o casal fosse outro [já pensou um oráculo e um semideus? sucesso puro!] e, neste caso, a pobre e querida Annabeth deveria ter um fim trágico com o seu pseudo-amado e malvadão4ever Luke. Como crítica eu teria gostado mais, mas o fim não foi nem de longe decepcionante, mesmo que [como eu disse]: óbvio.

O livro que mais gostei foi o quarto da saga: A Batalha do Labirinto, porque achei o mais elaborado e, apesar de um dos mais longos, não foi nenhum pouco cansativo. Já o que menos gostei foi o terceiro volume, A Maldição do Titã; isto porque ainda não aprendi a lidar bem com mortes mal-explicadas [certamente, resquícios da morte do meu querido Sirius Black, de HP].

Todos os personagens são extremamente interessantes, inclusive os vilões. A maior parte dos deuses ganhou meu afeto, dentre os principais, sem dúvida, estão: Dioniso [o deus do vinho e vulgo Sr. D], Hades [sim, o deus dos mortos malvadão e psicótico!], Hermes [aquele das asinhas nos pés, o deus mensageiro] e Apolo [o divertidíssimo deus do sol e de um mundo velho de outras coisas]. Dos semideuses, moram no meu coração Nico di Angelo [filho de Hades], Percy Jackson, Annabeth Chase [filha de Atena] e Luke Castellan [o malvado!]. Ah, ainda temos Tyson [o ciclope] e Groover Underwood [o sátiro], duas figuras que me garantiram boa parte das risadas. E, pra finalizar, a querida Rachel Elizabeth Dare que roubou a cena com sua visão e com seu jeito encanto-puro.

Mas, o meu personagem favorito preferido4everinmyS2 é o Poseidon. Gente: tem como não amar o deus do mar?

Quem gosta de literatura infantil: recomedadíssimo! A saga é realmente excelente e o Percy, diferentemente de grande parte dos protagonistas de todas essas séries de sucesso, não é chato!

-beijosmíticos;*

8 comentários:

Carlinha disse...

Sou suspeita pra falar de Percy, por que sou simplesmente apaixonada pela série, esse seu final alternativo seria interessante mesmo, mas eu amei a Anabeth então, fiquei muito satisfeita mesmo com o óbvio! Ah, meu preferido também foi a batalha do labirinto, acho que foi a melhor parte da história!
beijoos

KINHA disse...

Olá Juliana


Os blogs AMIGA DA MODA e a designer de joias Eliana Colognese, estão sorteando JOIAS exclusivas, desta designer. Venha participar...estamos esperando por vc...
Adorei seu blog e já estou te seguindo.


Bjoooooooooooo............

http://amigadamoda.blogspot.com

Évelin disse...

suspeita número 2. ainda me sinto inconformada com a versao cinematografica, vulga pior adaptação de todos os tempos. creio que a série daria muito pano para um série televisiva. *.*

Lud disse...

Logo de cara amei a história. Desde o primeiro, fui comprando todos eles, quase enlouquecendo no tempo entre um e outro. Nem liguei pra quem falava que era coisa de criança e eu já não tinha idade pra isso. Hoje minha coleção faz companhia pro meu Heidegger e meu Dostoiévski.
E concordo. A adaptação pro cinema foi vergonhosa, quase pior que O último mestre do ar. Quase pior.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Dizem que a vida tem que continuar, por isso estou aqui pra agradecer as palavras de conforto que recebi no blog e dizer que achei lindo a manifestação e o carinho de cada um de vocês. Obrigado!

JC

Kakau4ever disse...

como sempre só vejo os filmes...ultimamente não tenho sido uma boa leitora, rs. Falta de tempo total. Falando em livros tem boas indicações lá no blog, feita por duas especialistas hein...rs bjoks

Say disse...

Os livros de Percy Jackson estão na minha wishlist literária, acho que será uma leitura gostosa, bem do tipo que gosto =]

pequena disse...

Adorei o primeiro filme da série e confesso que não li o livro mesmo tendo ele em casa. Quando vejo o filme antes não me interesso por ler o livro depois (defeito meu)

Mas acho os livros juvenis o máximo. Minha paixão pela leitura e pelo jornalismo começou lendo as aventuras assim narradas pelo Marçal Aquino da coleção vagalume rss vc lia miga?

bjoooo e saudade demais de vir aqui com mais frequencia, mas continuo no drama da net q nunca foi instalada aqui em casa flor...enquanto isso quebro o galho com o iphone rss

bjo bjo bjo

Postar um comentário

 
;