02 agosto, 2009

Convicção



"Nunca diga nunca"

Essa é uma daquelas frasezinhas feitas que sempre tem alguém que lembra e fala como se fosse a mãe de toda a sabedoria. Mas, o engraçado não está nessa fatia do bolo. A cereja de toda a discussão, na verdade, é que a maior parte das pessoas acredita mesmo nessa sentença nomeada aí acima. Já tive algumas discussões a esse respeito, principalmente, quando o então propagador da idéia popular resolve arguir que não se pode conhecer o que vai acontecer no futuro.


É claro que não! Afinal, ninguém tem bolinha de cristal, e eu mesma, não acredito nessas "ciências" da adivinhação. O fato é que dizer "nunca", nada tem a ver com a sua capacidade de adivinhar ou prever o que virá, mas ter convicção suficiente de que, ocorrendo ou não certa situação, a sua atitude não vai mudar. Calma lá! Eu não disse que temos que ser imutáveis. Mas, convenhamos, que certas posturas não mudam e certos ideais e conceitos só se consolidam com o passar do tempo.

Logo, algumas atitudes, ou a ausência delas, são totalmente previsíveis a cada um de nós. Ou pelo menos, deveriam ser. A não ser, e é aí que mora o perigo desse texto que vocês lêem, que as pessoas não acreditem de fato naquilo que dizem acreditar... não vivam, realmente, da maneira como afirmam viver. Sinceramente, quem nunca diz nunca, pra mim, é uma pessoa sem convicções. Alguém que não consegue ser firme o suficiente em suas decisões e/ou escolhas.

Eu digo nunca! Não sempre. Mas, quando necessário. É claro que essa minha corrente de pensamento, não toca em coisas banais, como: "Eu nunca serei loira" (o que, realmente, é pouco provável que eu me torne). Não! A esse tipo de construção, cabem as situações mais sérias que envolvem decisões e comportamentos habituais e intrísecos de cada um de nós. Acho que pelo teor do texto, já deu pra perceber que as coisas sobre as quais discorro aqui são bem mais sérias e de maior efeito real.

Pra variar, vou cair no erro de dar um exemplo prático (vago, mas muito aplicável e entendível). Há alguns meses, passei por uma situação complicada com uma certa pessoa; e, às vezes, quando eu dizia que nunca haveria uma maior proximidade, algumas pessoas me corrigiam com a frase cabal; o que sempre acabava se transformando em uma imensa discussão sobre a minha total convicção do meu futuro e de como nele alguns tipos de pessoas não estão incluídas.

Engraçado como as pessoas, principalmente colegas e familiares distantes, tendem a achar *e lá vamos nós com os perigos do achismo novamente* que não sabemos tomar decisões e/ou precisamos de ajuda para a tarefa. Mais uma vez, sinceramente, eu desisti de discutir com pessoas que insistem nesse tipo de argumentação falha e fraca. Até porque, eu já disse que "está pra nascer alguém que me convença do contrário". A possibilidade é ínfima, tão pequena que é, praticamente, nula. Não tente.

Agradecimentos

Gentem, obrigadinha de verdade por todos os votos de melhora. Já estou, praticamente, zero-bala *olha o linguajar*. Sério! Agora só falta pouca coisa dessa minha garganta e tudo estará como novo. Obrigada mesmo pelo carinho. Aaaah, e deixa eu contar pra vocês sobre minha pseudo-aventura no pronto-socorro do hospital na quarta-feira.

Cheguei lá com muita febre, dor de cabeça, aquelas paradas todas de gripe que todo mundo tá cansado de saber. Tive que ficar mais de 1h esperando pelo atendimento, mas tudo bem. Quando entrei no consultório do médico de plantão no horário, ele me fez contar todo aquele histórico de como começou toda a minha gripe, desde à indisposição mais leve até os ataques loucos de mil-espirros. Agora que vem a parte divertida. Quando comecei a contar todos os sintomas que eu tinha pro médico, o rosto dele era tomado a cada sintoma por uma expressão desolada de preocupação e medo. Sério! Ele achou mesmo que eu tinha a tal da gripe tipo A.

E depois, pra completar, minha mãe foi dar uma de joãozinho-sem-braço-desinformado: quando o cara me fez deitar lá naquela maca pra poder fazer aferição da pressão, ouvir minha respiração, todas-essas-coisas, a momis me vira e pergunta pro médico assustado: " - Aqui em Goiás num teve caso daquela gripe ainda não, né?" Aaaaah, mas a cara do médico quando ele respondeu aquele "- Teve." seco e direto foi impagável. No fim, ele chegou à conclusão de que eu tinha apenas uma faringite *pra quem nem sabe direito o que é a faringe, tá tudo até muito bem*. Fui embora rindo. E muito.

-beijomeliga;*

p.s: Meu cabelo está enooorme.

11 comentários:

Lucas disse...

Ah, por isso aquele imeio infame. A gripe A. Ou, detesta que eu diga ''Ou'', né? Paixão. Ri demais! Jú, tinha tempo que não comentava, no entanto me identifiquei literalmente com uma parte do post, por isso vim. Eita, tô muito animado, credo. Até logo.

Bejo!!

Dana Malua disse...

Depois de sexta-feira, lembra que eu falei que minha garganta tava horrível com gosto de sangue?! Pois é, tô sem falar até agora hauhaua Só bebendo água e tomando mel. Mas não foi culpa sua não, é esse tempo "maravilhoso" XD

E a questão do "nunca diga nunca" é puro vício de linguagem, Juh. Vc leva muito a sério. É óbvio que todo mundo tem o seu limite, e por mais leviano que seja, também o seu caráter. Alguns mais do que os outros, mas todos tem.

Te espero no msn!
=***

zé disse...

Gostei muito desse texto e concordo e consinto com o que você disse a respeito das próprias convicções, daquilo que nós definimo como limite próprio e do esforço que é mantê-lo independente do que o futuro traga. Não acredito também em bolas de cristal, mas acredito com firmeza no fato de que a realidade e as situaçõe se constróem em parte pelo que acontece fora da gente e em parte pelo qeu acontece dentro da gente. E quanto ao que acontece dentro, a isso temos grande parcela de responsabilidade!
Que bom ver vc levantando esse tema por aqui, ju!

Karol disse...

Oi querida .. em algumas situações o nunca se torna indispensável, eu por exemplo.. se alguém me perguntar se eu prostituiria.. eu vou responder: Nunca! Pois faria qualquer coisa no mundo, menos isso! Aí sempre tem alguém do contra por perto pra dizer: nunca diga nunca! rs.. eu odeio gente do contra. No blog sempre aparecem alguns, eu já deleto na hora.
tenha uma ótima semana
bjoks

☆ KHC - Káh.Kau ☆ disse...

Oie Jú...
Sempre temos nossos nunca....com ctz há coisas que nunca faremos por nossa convicção, caráter entre outras coisas.
Que bom q tá melhor e essa gripe tá assustando né? tive várias pessoas próximas pegando gripe, febre e todos os sintomas...medoooo
bjoks linda ^^

MoizaCARTUNS disse...

Essas frases de efeito só servem pra maquiar uma total falta de capacidade pra argumentar as coisas. Eu tbm digo NUNCA; e quase nunca erro. Tem uma hora em que as experiências da vida nos mostram, quase que exatamente, quem somos... o que nos dá confiança pra dizer "NUNCA", às vezes.

Abraços o/

*Vany* disse...

aimmm minha amiguinha...q bom q foi só uma faringite....graças ao bom Deus!!!!

e ó??? Nunca diga nunca heim??? rsssss bjokas!

Péricles Carvalho disse...

melhora mesmo madrinhA!

preciso de notas pro jornal essa semana! huahuau


e nunca diga nunca pro seu ailhado querido! ok?


bjo bjo

Péricles Carvalho disse...

*e nunca diga nunca pro seu afilhado querido! ok?

pequena disse...

Ah amiga eu tbm digo nunca quando é preciso rsss

Ainda bem que vc melhorou amiga e que não era nada sério demais rss
Mil bjocas e boa semana to com saudade e sem net comofaz? rsss

xêro

pequena disse...

Ai amiga eu tbm morro de saudades de vc, do blog, de tudo rss esse problema da net é foda 2 modem que quima junto com a fonte, prejuízo danado rss mas hj a noite vou testar o novo modem que coloca no estabilizador pra ver se a net rola rss to no trabalho agora e tem dias que aqui é aperriado rssss e não dá pra eu fazer as minhas visitas diárias e obrigatórias aos blogs das amigas rsss


bjoooooooooo Ju linda!!!!

Postar um comentário

 
;