06 setembro, 2011

Encontro












Desligou o telefone com tanta alegria, que deu um pulinho no lugar antes de correr para o banho. Arrumou-se tão depressa, que ficou com medo de borrar aquele rímel novo que ela tanto amara.

Vestiu um, dois, três vestidos, cada um com uma cor, estampa, modelagem. Optou por aquela saia amiga há tempos e aquela regata que lhe caía sempre tão bem. Treinava aquele olhar no espelho distraidamente, quando o celular tocou. Era a mãe. "Preciso de você aqui, comigo". Mais tarde, quando chegou em casa, descobriu um post-it pouco educado na porta. O celular, sobre a cama, indicava sete chamadas e uma mensagem de voz. Não quis ouvir. Pegou uma muda de roupa e saiu novamente.

Na insanidade da morte, esqueceu-se de desmarcar o encontro.

-beijosdacarochinha;*

3 comentários:

Kakau4ever disse...

Me deixou no suspense...

Adorei.

Bjoks

Aym disse...

uau... que ponto da história... como vc é má =x huauhauhsauhsuh
beijos
boa sextaaaaaaaaaa
*pula,chora e grita* kkkkkkkkk

tony disse...

De todos os "senta", o que mais tem "tom de veracidade". Bacana!

Sobre romance \\ lindo, e com mais uma frase matadora :)...

Hiato \\ Posts sobre processos criativos sempre me fascinam. Para nós [da comunicação] que nos habituamos a escrever por condição, ficamos de certa forma condicionados a escrever sempre ou parar muito. Uma pausa que leva a outra sempre nos "destreina", sem levar nosso ritmo... quando retomamos, é com tudo. Vejo por mim, que enquanto escrevo pra ti vou emendando mentalmente uns dois posts que vão pro ar mais além...


ótimos dias pra ti :D

Postar um comentário

 
;