11 setembro, 2011

Calaboca, um relato


"Quando eu era pequeno achava que calaboca era uma palavra só. Eu a ouvia sempre: em casa, na escola, no futebol... em qualquer lugar. Eu não sabia bem o que significava calaboca, mas sabia quando você usava e que não era uma coisa muito boa de se dizer.

Acho que a mãe não gostava. No começo, calaboca era uma palavra pouco usada. Vai ver nem todo mundo sabia o que significava e não queria falar algo que não conhecia. Mas, os tempos mudaram e calaboca tornou-se arroz no prato. Eu falava, não vou mentir. Eu falava porque você falava. E falava como você falava. Enchia a boca pra falar na escola, quando alguém me tirava do sério. Igual eu mesmo fazia com você. Não foi uma vez que a professora chamou-me a atenção, mas eu ainda falava. Calaboca era algo tão diferente. Calaboca funcionava. Funcionava com qualquer um. Até que calaboca ficou sem graça. Calaboca estava em toda boca. Descobri outras palavras. Falei diversas mais. E, mais tarde, entendi o que era calaboca. Não falava mais, não achava mais tanta graça. Você já tinha esquecido há muito tempo. Falava outras palavras. Ensinava muitas mais. Calaboca foi só uma fase sua, como todas as demais."

-beijoshistóricos;*

p.s: Escrito por mim, narrada por um dos meus contadores de histórias preferidos: meu irmão.

1 comentários:

Kakau4ever disse...

E eu nem sei se usava muito Calaboca...rsrs.
Mas, adorei como contou o relato.
Bjoks flor

Postar um comentário

 
;