10 agosto, 2010

Sobre o ato de fingir



Odeio fingimento.


Fingir que nada aconteceu. Fingir que nada sentiu. Fingir que nada disse.

Não consigo fingir.
Quem dera fosse fingida. Assim, quem sabe, seria menos previsível.
Menos visível.
Menos, bem menos.

Não consigo estar num lugar incômodo e fingir-me acomodada. Não consigo ver coisas e pessoas desagradáveis e fingir que me agradam. Não consigo sentir-me dissimulada e fingir indiferença. Não consigo. 

Talvez seja algo do sexo feminino; essa necessidade de livre sentir e expressar-se sentida. Talvez seja apenas coisa de maluco. Talvez seja humanidade exacerbada.

Mas, fingir dói demais. E é essa dor irritantemente progressiva que inibe ainda mais qualquer capacidade de ser e de sentir-me fingida.

Odeio quem finge. Odeio a forma como o fingimento faz dessas pessoas menos humanas. Odeio.

Fingir é uma habilidade que deveria ser restrita a andróides. Fingir é fujir. Fingir é abrir mão de sentir.

-beijoscheiosdeverdade:*

7 comentários:

Jess Q. disse...

é verdade! as vezes eu finjo e sei q na verdade estou fugindo...

tony disse...

homens fogem mais que fingem, mas também sabem fazê-lo.

Em ambos, assistir quem finge que não sente é divertidissimo: outros sinais demonstram a fragilidade do dizer, e a força daquilo.

Ao mesmo passo, bastante gente não gosta de sinceridade. Preferem mentiras confortaveis, boas de apego; vivendo então a outra metade de um androide: pode até parecer sentir, mas não é de verdade.

ótimos textos, sempre :)

Carlinha disse...

Pow jú... que profundo isso; "Fingir é fujir. Fingir é abrir mão de sentir."

Muito bom o post. Obrigado pelos beijos, cheios de verdade! =*

João disse...

Eu sou muito do tipo que finge que está tudo bem pra evitar conflitos, ainda que eu admita que isso possivelmente é um traço de falsidade, covardia e mais uma dezenas de coisas ruins. Mas é que discussões realmente me dão preguiça demais...mais fácil sorrir e acenar...

Kakau4ever disse...

Nisso eu sou um espelho, tb não consigo fingir, qto tô mal humorada todo mundo sabe, qto tô chateada tb. E assim por diante, já existe pessoas que parecem não sentir nada nunca. E mesmo sofrendo possuem a mesma cara, acho incrível haha
bjoks miga

Lorena Dana disse...

Filosofando: quem não finge consegue viver?
O que é fingir se não dissimular para ser aceito em sociedade?
E mesmo os que se consideram totalmente sinceros. São sinceros o bastante para admitirem que já fingiram?

Priscila disse...

Eu finjo sim, mas acho que entra a questão da educação, já fui em eventos onde meus pais me levaram de "bagagem", e é claro que eu acho ruim ficar sem fazer nada [atualmente tenho twitter para me salvar kkkkkk], acho que a pessoa ficar com cara de quem não ta gostando da festa é falta de educação,eu não trabalho, mas no dia que eu tiver um dia ruim, eu vou sim fingi que está tudo bem, ir para o trabalho e ficar chorando ou descontado nos outros ou qualquer outro sentimento ruim acho que é falta de profissionalismo

Postar um comentário

 
;