13 junho, 2009

Sobre o amor e o ouvir


Assisti um filme essa semana que me fez pensar bastante. Na verdade, não tenho muita certeza sobre o tema real do filme, mas que é uma grande película isso é. É do Pedro Almodóvar. Confesso que nunca tinha assistido nada do espanhol antes e confesso que devo assistir muitas coisas do cineasta depois desse filme, especificamente.

[Cena de Hable Con Ella/Almodóvar - Caetano Veloso canta Cucurrucucú Paloma]

Hable com Ella conta a história de duas mulheres em coma, ou seria a história de dois homens que se tornam amigos devido a situação das duas moças? Só com isso, já dá pra ver o quão confuso é o tal filme. Em contar que a gente não fica com raiva de um cara que estupra uma das moças em coma. Sim! É muito contraditório e chocante. Mas, a construção do filme foi tão bem arquitetada que nos faz sentir e ver as situações de maneiras impensáveis.


Sinopse:
Uma tragédia em comum une dois homens desconhecidos até então, quando eles precisam cuidar de duas mulheres que estão em coma no hospital. Dirigido por Pedro Almodóvar e com Geraldine Chaplin e Paz Vega no elenco. Vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Original.




Mas, tudo isso, foi só pra citar duas coisas que achei extremamente adequadas dentro do filme. E, tendo em vista, o clima romântico desse final de semana, devido ao Dia dos Namorados, achei extremamente útil citar. A primeira é a linda cena em que o Caetano Veloso aparece cantando uma música mexicana. Realmente, muito linda. A outra, é a referência que o personagem de Darío Grandinetti, o argentino Marco Zuluaga, faz a Tom Jobim, naquela música O Amor em Paz [interpretação de João Gilberto].

"... o amor é a coisa mais triste do mundo quando se desfaz..."

Tive o prazer e a comodidade de assistir ao filme em casa, sozinha. Assim pude dar meus pitis típicos e pesquisar tudo o que ia incitando minha curiosidade. Pra quem não conhece a música ela é bela, por si só, desde a letra até a melodia. Além do mais, pensando sobre essa sentença, em especial, cheguei a conclusão que realmente, quando esse sentimento se desfaz é muito triste. Seja pelo simples fato de deixar de existir, seja pelo fato de não ser correspondido. Quando o amor acaba, a tristeza surge. É meio que irremediável, sabe.

Para isso, então, teríamos duas opções, a primeira não amar, já que tudo que começa sempre acaba, não é. Mas, essa é a escolha dos pessimistas, eu diria. A segunda, seria amar da mesma forma, ou até mais. E, se por algum motivo específico, tudo acabar, amar novamente. Pra mim, o amor deveria ser renovado todos os dias. É mais ou menos, como o amor de Deus, ele se renova a cada manhã, e nós deveríamos mesmo exercitar esse renovo.

Do filme, a lição que ficou pra mim, foi a que acompanha o título. Não, necessariamente, falar com ela mas, ouvi-la, principalmente.

" - Estamos conversando a 1h.
- Você está."
-kissicallyou;*

13 comentários:

Péricles Carvalho disse...

Pedro Almodóvar é muito bom! hj eu vi o filme "Todo sobre mi madre" - tocante, cm uma trilha sonora marcante, belíssimo!


aliás, tá tendo uma mostra de cinema hispanico muito cool no cine ouro!

Words Unwritten disse...

Oi Ju! Que lindão esse filme , vou até anotar o nome aqui pra mim ver *-* , tem uma história realmente muito lindaaaaa!

Ah, sobre o meme que você tinha me passado acabei de postar, obrigadão por me indicar novamente *-* , fico feliz que sempre lembras do meu humilde blog :)

Ah, e nem se preocupe não vou abandonar meu blog não! haha , é só a preguiça que anda me consumindo :D

Beijos e boa semana friend :*

Paula Falcão disse...

Engraçado... todo mundo querendo se render a Almodova essa semana =/

Sério estou ensaiando para locar Volver faz uns 3 dias. Coisa estranha...

Fiquei curiosa, Ju... terei que ver este tb.

;*

Ps: Tenho que atualizar meu blg... sabe, né? Muitas idéias pouca produção. Ou seja, o de sempre.

Say disse...

Pelo q vc falou, só vendo pra crer em certas coisas. Parece mto interessante.

Say disse...

Ah Ju, como vc fez p/ seu tradutor ficar nesse formato, encaixadinho no espaço de sua coluna? O meu teima em ficar em pé -_-

pequena disse...

Essse filme é verdadeiramente lindo amiga, que bom que vc gostou rss

milbjos pra tu rss

xerim e bom domingo!

pequena disse...

aMIGA TE ADD NO TWITTER TÁ ? Lany_pequena bjocas

Dana Malua disse...

Também gostei muito do filme! Espero ver mais filmes dele em breve!

zé disse...

ainda não tive chance de ver esse filme. mas esse post serve bem como um estímulo!
Quanto à música, nossa, é mesmo bela e eu me pergunto se a tristeza que vem do amor que é acaba é pelo fato dele ter acabado ou da gente ter acabado com ele...

Pâm Gonçalves disse...

Eu não vou mentir, só fui ouvir falar desse diretor, quando ele passou no CQC e deu um beijo no Rafael Cortes, auhsuiahsiuhauishas.

Mas adorei a história pelo que você contou. Entrará para a minha lista de filmes para ver, mas que o tempo não me deixa diminuí-la.

beijo :*
Aaah minhas mãos são feias :(

☆ Káh.Kau ☆ disse...

Nossa Jú vc escreve de um jeito que parece até poema. Fiquei curiosa de assistir esse filme, vou fazer uma sessão cinema aqui em casa com a galera, e vou tentar baixar este.

ahh o amor...tão inconstante...
nem sei definir essa dor que citou, mas, já passei por ela, e só se sabe vivendo, não é?

Bjoksss
callme;*?
rsrs

Ma Folie Design by Guta disse...

Oi flor, gostaria de convida-la a conhecer meu bloguito e site de bolsas e acessórios
http://www.mafolie.com.br
Espero q goste :)))
bjokas
guta

pequena disse...

AMIGA KD TU? RSSS

TO CUM SAUDADE RSSSS

BJOCAS

Postar um comentário

 
;