02 outubro, 2008

" - Você carrega maconha?"

Lá estava ele voltando para casa após um longo dia de estudos naquela Universidade que fica totalmente a parte do mundo. A sós com seus pensamentos, ia conduzindo a moto e desviando de todos aqueles carros que o cercavam e sufocavam ao longo daquela via, que, com todo o cansaço do dia acumulado, parecia infinita... interminável.

Algo, entretanto, chama sua atenção.
Seus sentidos super-aguçados apontam para uma nova situação que o espera logo mais a sua frente.
Ele, continua dirigindo normalmente, mas vê aquilo, que antes parecia apenas uma mancha no asfalto, crescer diante de seus olhos.

Uma blitz da Polícia Militar estava montada bem ali a sua frente, e um policial a sua espera fazendo sinal para que parasse.
Ele, claro, estaciona a moto calmamente. Não traz consigo nada ilícito, seus documentos estão em ordem, o que mais aquela situação pode ser senão algo completamente corriquiero?!

O policial seguindo os padrões de abordagem à motocilistas, desabotoa o coldre, no qual carrega sua pistola calibre 38, armamento padrão da PM, e pede para que ele desça lentamente da moto, ponha-na apoiada no descanso, tire seu capacete e desabotoe a jaqueta.

Ele, claro, mais uma vez, obedece a todas as recomendações. Já passara por tudo aquilo mais de uma vez, como poderia acontecer algo demais?!

Quando ele termina de abrir sua jaqueta, que usa insistentemente todos os dias para que seus braços não fiquem marcados pelo sol, o policial pede com voz branda porém autoritária que entregue seus documentos e os do veículo para o oficial que está ali ao lado a espera.

Enquanto o outro policial verifica os documentos, que, como sempre, estavam na mais perfeita ordem, o tira verificava o que havia na mochila dele.

[Diálogo que ocorreu entre ele e o policial]

" - Você vai abrindo os bolsos da sua mochila pra eu olhar.
- Ok.
- Tem algo ilícito aí?
[Ele quase ri]
- Não.
[O policial vê os livros e todo o material escolar que está ali dentro]
- Onde você estuda?
- Na Federal de Goiás.
- Ih. Lá é perigoso... essas coisas... você sabe, né?! Você carrega maconha?
[Agora ele tem que segurar a risada que surge do mais íntimo de seu ser]
- ... Não. *O que esperava, que se tivesse eu falasse? dã*
[O policial continua a vistoria]
- Que que tem nesse compartimento aí?
[Ele abre calmamente o zíper do pequeno bolso]
- Nada...
[O riso está quase incontrolável. O outro policial que verificava os documentos acena para que ele vá buscar os papéis. Ele vai até lá e os pega. No momento em que coloca o capacete para voltar ao seu caminho, o policial, aquele que perguntou das drogas, vira-se e faz uma ultima indagação olhando fixamente para seus olhos]
- E essa jaqueta... você trabalha na Unilever¹?
[Mais uma vez controlando o riso]
- Não. É do meu pai."

Ele sobe na moto novamnete, dá a partida e segue seu caminho rumo ao conforto de sua casa. Absorto novamente em seus pensamentos ele se lembra da última pergunta do policial e indaga a si mesmo: " - O que ele queria, que eu tivesse roubado a jaqueta?! Policiais..."
Não pensa mais nisso, logo estará em casa, com uma bela refeição feita tão cuidadosamente por sua mãe. Agora isso tudo será somente uma história para blogs alheios.

¹O nome da empresa foi alterado para preservação da fonte.

p.s: Uma historinha pra divertir vocês. Quem disse que a Ju Marton não sabe contar histórias?! Inventar, definitivamnete, não. Mas contá-las, ela sabe, esporadicamente, claro.
p.s2: O dia que você pensar em usar short vista calça, porque com certeza vai chover e você vai passar um frio insuportável, ainda mais se for ficar até mais tarde na faculdade e ainda voltar de ônibus para casa. *fica a dica* ;]

4 comentários:

Paula Falcão disse...

* Curiosa para saber a fonte da historinha*

Suponho que sei a fonte!

hehehehe

Vc passou frio? =/
êhhh, Ju... acho que ta passando da hora da gente fazer um mini-estoque de roupas no meu pretinho, viu?!


;*

túlio. disse...

kkkkkkkkkkkkk

"o nome da empresa foi alterado para a preservação da fonte"

"*O que esperava, que se tivesse eu falasse? dã*"

haoehaoehoaeho

to imaginando a cena...

xD

Péricles Carvalho disse...

quem foi o meliante???? huahuahuauha


pow - vc é quase uma Forrest Gump, hehe


a storyteller! eu gosto disso! xD

curti muito ler, espero q vc continue contando histórias como esta - a respeoti do cotidiano, do dia-a-dia, pois quando nos colocamos na brecha pra observar - acabamos percebendo os heróis de verdade!

bjao

Dana Malua disse...

Hohoho! Eu ri muito disso =DDD
O engraçado é que a polícia sabe, mas ninguém faz nada pra desmaconhar a UFG hohoho

Postar um comentário

 
;