25 março, 2010

Redundância sincera



Existem algumas pessoas que utilizam muito a redundância, ora para dar mais ênfase às coisas que diz, ora só para ser irritante, mesmo. Mas, nem sempre a repetição é apenas um sinal de que a pessoa deseja que as outras pessoas compreendam o que ela diz, em último e péssimo caso, talvez ela apenas não saiba articular suas frases e ser tão comunicativa quanto, normalmente, parece.

Isso pode ser notado, principalmente, em discursos de aniversário. Geralmente, sempre tem um que é bem articulado e consegue dizer tudo o que pensa/sente. Acaba arrancando alguns suspiros e/ou sorrisos dos mais emotivos e fazendo vibrar a platéia pouco comunicativa. Até aí tudo bem, já que os demais não precisam, necessariamente, falar mais nada após a dissertação do colega.

O duro é quando o tabuleiro muda de lado, e o super-comunicativo é que vira o aniversariante. Todos param após cantar o tradicional parabéns - que pode ser inovado com alguns gritinhos e assovios descompassados *ficadica* - e a única coisa que todos querem é cortar logo o bendito bolo e encher a boca com o glassê da sobremesa. Todos começam a desarmar a roda, mas sem o consentimento do aniversariante não é nada fácil dar prosseguimento à festa.

Então, para desespero dos amigos pouco comunicativos e nada articulados, discursos começam a ser exigidos. Os mais próximos sempre têm que falar alguma coisa, claro. Ou não haveria razão para ser chamados de amigos íntimos. E é então que entra a redundância; amiga daqueles que não conseguem organizar seus próprios pensamentos num discurso lógico e bem falado.

A sensação de alívio só volta quando os outros compadecidos pela cena trágica de péssima desenvoltura resolvem bater palmas e acabar com a situação totalmente constrangedora. Isso quando não vem os deliciosos comentários como: "pelo menos você tentou" ou "foi ótimo! (Y)" acompanhados daqueles sorrisos super-sinceros de "tudo bem!".

Mas, graças a amizade, no final fica tudo bem. Nada que um farto pedaço de bolo, assovios e um abraço não resolvam com facilidade.

-beijocomvelinhaseglassê;*

p.s.: Isso tudo porque eu sou muito comunicativa e sei articular bem minhas idéias, claro. - -'

7 comentários:

Desi disse...

nessas horas quem sempre se dá mal é algum tio ou cunhado da família :P

bjão

Say disse...

Pobre dos desarticulados nessas hrs... deviam ter dó deles e passar a batata quente pra outra pessoa.

Néctar da Flor - Rebeca e Jota Cê disse...

Falo pelos cotovelos, mas acho que quando o negócio é falar de amor, não tem como não ser redundante...ahahaha

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Carlinha disse...

huahuahauhaahua

Acho que quando a gente é amigo, se não consegue falar... o outro de alguma maneira sabe, mas as vezes é bom mostrar o que agente sente através das palavras e nessas horas, mesmo não sendo exímios oradores, agente tenta, por que por um amigo as vezes vale a pena pagar um mico!! =D

Iris disse...

Eu odeio quando alguém fala no meu aniversário, pq eu sempre quero sair dos holofotes dos parabéns e ir comer ou dançar.
Os oradores poderiam se tocar com isso.
Adorei o blog.
:*

pequena disse...

Amiga eu fico desconcertada com discursos. Acho extremamente constrangedores e eu sofro com a vergonha dos outros e se foreu então rsss nem se fala rss


Saudade de vc flor!

bjocas e bom domingão!

João disse...

É, eu sei do que você está falando (ainda que eu tenha uma simpatia por discursos constrangedores e tudo mais)

Postar um comentário

 
;