29 março, 2010

Das falhas de comunicação



Informação é um bem precioso, principalmente quando consegue ser repassada sem falhas, os já conhecidos *ou nem tanto* ruídos comunicacionais. O duro é quando a mensagem não é passada adiante ou atendida.

Um erro clássico de comunicação que se pode observar na rotina dos dias é a fraca comunicação estabelecida dentro dos ônibus. Em geral, porque as pessoas não têm lá muita paciência para responder a outras desconhecidas que insistem em conversar demais com qualquer um que ande sobre dois pés *é claro que tem gente que conversa com animais, mas isso não vem ao caso agora*. Nesses casos, alguns mais espertinhos sempre tem o amygho ipod às mãos e um livro.

Enfim, tem dias que você acorda prestativo e atencioso. Com aquela vontade real de oferecer seu lugar no ônibus para o primeiro velhinho que aparece dentro do transporte. E eis que surge a grande oportunidade de colocar todo o seu espírito de escoteiro para fora quando um passageiro está perdido e pergunta às pessoas à volta como chegar em algum lugar.

Como conhecedor da região onde mora e bom informante, você logo começa a se remexer na cadeira para que o "perdido" pergunte à você. Mas, o momento nunca chega e cada vez mais você fica incomodado por pensar que aquela pessoa que precisa de informação nunca irá consegui-la e, provavelmente, vai ter que andar o dobro para chegar ao destino desejado.

É claro que você não sabe de fato onde a pessoa quer ir, já que a pergunta não foi direcionada à você. E com os ruídos do trânsito e das conversas alheias à sua volta, nem que quisesse você poderia ter ouvido o que se passa, de fato. De repente surge a oportunidade. E você feliz se disponibiliza a ajudar, pra sua total insatisfação posterior.

Como é hábito dos passageiros do transporte coletivo, as conversas sempre começam pelo meio e não tem um final determinado. Aquilo que deveria ser uma pergunta, se torna apenas uma sentença solta no ar. E, para sua total frustração, você não é capaz de responder. Não porque não saiba a resposta, mas porque o interlocutor não soube formular a questão.

"- [...] na rua xxx, atrás da farmácia [...].
- huumm... é algum estabelecimento comercial?
- [...] na rua xxx, quadra yy [...].
- huumm... não sei onde fica. sinto muito. mas, tem uma farmácia naquela direção.
- [...] é... na rua xxx, atrás da farmácia [...]"

O resultado é sempre o mesmo: ambas as partes saem frustradas. Você porque não conseguiu ser legal nem no dia em que esperava por isso. E o "perdido" porque, provavelmente, vai ter que andar o dobro para chegar no lugar certo.

-beijosejaclaroquandofizerperguntas;*

5 comentários:

Carlinha disse...

Tem dia que eu tow assim com o espírito pronto pra ajudar alguém... huahauhauahuah
é ruim quando não conseguem se expressar direito com a gente, mas pior é quando nós não conseguimos dizer o que queremos, mesmo que as vezes esteja na "pontada língua"!!

=*

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Esse final de semana vai ser mais prolongado e, dessa forma, além de passar por aqui desejando uma maravilhosa páscoa, quero deixar um cartão da voxcard como carinho:

http://voxcards.ig.com.br/cards/cartao.aspx?c=98590

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Karol disse...

Oiii querida, o blog novo ficou liiindo! Super clean e lindo! Eu converso com animais.... hihihi...
bjooos

pequena disse...

Amiga que saudade das nossas conversas no messenger, masa escrava aqui (eu) não tem mais tempo pra nada rsss


To passando pra deixar um beijinho e desejar uma boa semana flor!

adoro tu!

Jess Q. disse...

hahaha e isso é bem comum mesmo!
eu como sou timida nem me ofereço, so se perguntarem diretamente pra mim...
Beijos

Postar um comentário

 
;