07 setembro, 2009

Lógica das Paixões



Todas as imagens foram obtidas através de pesquisa no Google, nenhuma carecia de créditos, pelo menos, não imediatamente.

Hoje vou contar uma história sobre uma garota, de seus 20 e poucos anos. Quero usar o exemplo dela pra ilustrar duas lições que levam a dois caminhos totalmente distintos. Ao contrário do que ela costumava ser e transparecer, não era  uma pessoa tão fria e insensível como todos imaginavam. Mas, não era novidade pra ninguém que ela nunca havia namorado. Não estou dizendo que as pessoas encaravam isso com normalidade, mas é fato, e elas opunham-se aceitavam o fato. Contudo, em toda sua não tão longa vida,  ela já havia se apaixonado 3 vezes e cada uma delas havia sido bem diferente da outra e em fases totalmente distintas também.


A 1ª vez que aconteceu, ela tinha entre 8 e 10 anos de idade, coisinha boba de criança, mesmo. Tem gente que vai dizer que, provavelmente, ela não estava apaixonada. Do que eu discordo totalmente, já que as crianças também sentem e, como o ser humano está fadado a se sentir atraído pelo sexo oposto ou não, né, as crianças também se apaixonam. Era um coleguinha de classe. Estudaram juntos da 2ª à 4ª série, e ela sempre foi caidinha por ele.

Mas, assim como sempre acontece na infância, e temo dizer, na vida adulta também, as pessoas tendem a esconder seus sentimentos, e foi assim. Anos mais tarde, ela acabou descobrindo que ele também gostava dela e que todas aquelas perguntas nas brincadeiras de Verdade ou Consequência?! nas sextas-feira após a aula eram um modo de ele e os amigos tentarem decifrá-la. Ela chorou por nunca mais vê-lo e depois, como toda garota, ela o esqueceu.


A 2ª vez em que ela se apaixonou por alguém foi mais diferente ainda, uma espécie de amor platônico totalmente não-correspondido, já que, e ela hoje tem certeza disso, o tal garoto nem fazia idéia de que ela existia, quanto mais do nome dela. Essa paixonite também durou algum tempinho, algo que ocorreu mais ou menos entre seus 12 e 15 anos e também concordo que ela tenha se apaixonado sim, de um modo meio irracional talvez, mas que adolescente não é boba e iludida, não é?! Sempre tinha aquela sensação estranha e boa quando topavam, mas eles nunca conversaram mesmo, na verdade. Ela chorou por ele nunca a ter notado e depois, como toda garota, ela o esqueceu.

A 3ª vez em que ela se deixou apaixonar por alguém, foi ainda mais diferente. Dessa vez ela já era uma jovem amadurecida, ou pelo menos, semi-amadurecida, e a pessoa em questão, objeto de sua paixão, era alguém que ela conhecia, e com quem, pela primeira vez, ela viu a possiblidade real de acontecer alguma coisa. Ela notou desde o princípio seu encantamento e, permitiu que esse deslumbre inicial se transformasse em sentimento.



Isso aconteceu há pouco tempo, e não durou tanto quanto as outras paixões que ela teve, foi coisa de poucos meses. Dessa vez, a coisa foi um pouco mais traumática e ela descobriu que havia outra, justamente no dia em que havia decidido comunicar, por assim dizer, seus sentimentos ao tal. Eles continuam bons amigos, como sempre foram. Ela chorou quando descobriu que nunca saberia o que poderia ter acontecido entre eles e depois, como toda garota, ela o esqueceu.

A paixão é uma coisa meio irracional, mas, na minha opinião muitíssimo opcional, já que, até mesmo, as menores escolhas que fazemos, como entre sorrir ou acenar efusivamente para alguém, influem diretamente na maneira como nosso cérebro ou, no caso, coração, vai entender e interpretar aquela atitude e/ou situação. A garota da história nunca chegou a amar alguém, de fato [a não ser seus amigos e familiares]. O que também é motivo de confusão para algumas pessoas.


Amor envolve muita proximidade e intimidade. Você não ama aguém que não conhece, realmente. Você ama quem tem convívio com você e com quem você divide a vida, em si. A paixão está muito mais relacionada a instantes e sensações momentâneas. Momentos em que olhares se cruzam, ou em que sorrisos se encontram. Sensações clássicas de borboletas no estômago e de mãos frias. Quem acha que isso é amor, muito se engana.

Bom, as lições que podem ser extraídas da história dela e que eu gostaria de mostrar a vocês são duas. Antes, quero lembrar, que cada uma delas leva a um caminho totalmente diferente do outro e que, a primeira sempre será a melhor opção, mas nem sempre a mais fácil de ser executada.

1ª Lição: "Nunca deixe para depois o que você pode fazer hoje"
Se hoje em dia apaixonar-se já é tão difícil, perder a pessoa por quem se está apaixonado então, é mais difícil ainda e doloroso. Então, fale logo! Quanto antes você compartilhar aquilo com a pessoa, antes você terá uma resposta, mesmo que esta, a priori, não seja a desejada. O importante é que você terá um final, ou uma continuação. Pelo menos, não ficará se perguntando o que teria acontecido se tivesse, enfim, falado. Exponha-se, mostre um pouco de si. Isso deve e vai ajudar na sua recuperação, caso precise após uma resposta negativa, e amadurecimento.
2ª Lição: "Não se apaixone"
Não me diga que isso é impossível, pois não é. Já expliquei no começo que apaixonar-se consiste nas decisões que você toma ao longo de sua vida. É por isso que alguns se apaixonam por todos e outros por ninguém. Aprenda a se controlar e, principalmente, conheça-se! O segredo do auto-controle está em se conhecer e saber quais são suas idéias, limites e tendências. Se você tem tudo isso muito claro em sua mente, fica bem mais fácil de controlar as situações e suas conclusões, e até mesmo a entender mais o outro. Mas, como eu disse, essa é a opção dos pessimistas.

A quem interessar possa, a garota da história sou eu yeah! expondo-se mais uma vez! batam palmas pra ela. Nós autores, somos sempre o melhor exemplo a ser dado. Contradiga-me quem achar que eu estou errada.

-kissdon'tcallmenow;*

17 comentários:

☆ KHC - Káh.Kau ☆ disse...

No começo imaginei se podia ser vc...rs
me identifiquei em alguns pontos. Um dia te conto a minha e vc escreve pra mim, pq vc descreve de um jeito tão lindo...amo ♥
bjokas jú...

Péricles Carvalho disse...

vc cria personagens que se confundem com vc mesma... será?!

deixo no ar minha dúvida, mas confesso que paixões são traumáticas na maioria das vezes, e isso é fato!

adoro suas descrições e a maneira como vc dá um panorama geral dos fatos e acontecimentos.!

as lições finais são excelentes!

bjo bjo

pequena disse...

Ow minha florzinha linda rsss eu sabia que era vc e me identifiquei em várias partes dessa estória rss

Vc é bastante sábia em perceber oq é bem difícil as vezes amiga rs Espero que quando vc amar de verdade vc seja tbm muito amada por essa pesssoa, é um sentimento tão bom, tão sublime rsss e vc merece minha miga florzinha e doce rss

bjooooooooooos e eu tava morendo de saudade, tava no matu rsss por isso esse tanto de dias sem vir aqui rss

xerim miga linda

Cristin disse...

Vc é mesmo uma fofa!
Amo ler o que escreve....uma bela escritora,
nos envolve de verdade!
Acredito que existam mtas Julianas com as mesmas experiências....mas vc relatou de um jeitinho mto especial. Amei!
Bjus lind@

MarceLa Guimarães. disse...

adorei o post!
Coisas q acontecem com todas as garotas e o melhor foram os conselhos finais! A senhorita é sábia, hein!
xD

beijo!

Rubens Salomão disse...

Adorei!
Mas quando se está apixonado, a última coisa que se vê é lógica!hoiahoihaoihaiohioa


=*

Cris Pironi disse...

Ju, vc viu? Fiquei com essa sensação tb, como as imagens e "padrões" estão distorcidos!

Bjssssssss.

Babi disse...

Agora tô um pouco sem tempo, mas depois volto aqui e leio o post. Essa vida, aí ai.
Só para avisar que tô te seguindo! :*

*Vany* disse...

Ahh miga linda...sabia q era vc...

Vai fazer 10 anos q estou junto com o Rodrigo...entre namoro noivado e casamento...além de ser muito feliz...eu posso dizer com toda certeza do mundo q eu o amo muito...a convivência diz realmente quem ama de verdade...conviver nao é fácil..quem ama de verdade consegue passar fácil fácil por isso...adorei o post...bjokas amiga linda!

LSD disse...

Ai qui bunitinhu!

Parabéns!

zero disse...

"e quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração?
e quem irá dizer que não existe razão?"

né não?

Fernanda disse...

Esse texto e muito bonito!
O seu blog e bem legal!
ah,ja to cm seguidora!
visite o meu se puder!
abraço!

pequena disse...

Miga linda to passando pra dizer que to morrendo de saudade de tu rsss

e me diz, foi eu que ganhei o filme da promoção do blog num foi? rss

bjooooooooooooooooooooooooooooooooooooooos e boa semana amiga linda!

Marca Roupa Enxovais disse...

Oláaaaaaa

Que lindo isso! Adorei.

Agradecemos sua participação no nosso sorteio.

Estaremos sempre em contato desde já, visitando seu blog todos os dias, olhando novidades.Seguindo seu blog e espero que você nos siga tabém olhando nossas novidades.

Equipe Marca Roupa

pequena disse...

Amiga linda to com saudades das suas histórias rsss
bjos flor e boa noite!

Lia disse...

Oi, Juliana
Obrigada por visitar meu blog!
Se vc quiser comprar moleskines, no siteda livraria cultura vende, alguns modelos menores não são tão caros.
Bjs

Letícia disse...

Oi Ju!
Vim aqui conhecer o seu cantinho
Vou passar sempre por aqui
beijoss

Postar um comentário

 
;