28 dezembro, 2010

Quando tudo termina



Essa sensação de que o tempo passou e que são anos que não voltam mais me constrange. Torna tudo dentro de mim tão sensível que a simples presença de alguns amigos e a ausência de outros, realmente, me afeta.

Essas lágrimas brotam junto com um sorriso incrédulo em ver que, de fato, os olhos estão marejados. Cheios de gotas de saudade, de orgulho, de carinho, de satisfação, de amizade. Mas, que estão também molhados pela falta, pela decepção, pela mágoa. A compreensão é certa, mas algo dentro é meio-que inevitável. Tantos rostos conhecidos. Tantos sorrisos queridos. Tanto prestígio e consideração até de quem nem precisava estar ali. Tanto amor e carinho e orgulho saltando dos olhos de quem precisava estar ali de qualquer maneira. Palavras que fazem rir, mas falam tão alto que quase gritam dentro do peito. E depois que tudo passa e que tudo já foi dito e que todos já foram embora e que todas as ausências já foram justificadas e que todas as presenças agradecidas o que resta é um emaranhado de sensações guardadas e enroscadas.

Resta sentir tudo de uma vez e aí é só elaborar.

-beijosemotivos;*

8 comentários:

Carlinha disse...

De alguma forma tudo que termina, continua na nossa memória e são essas lembranças que fazem a vida valer a pena!
Gostei do post Jú, diferente do que habitual! =DD

ps: sobre os selos, sei que você não resposta, coloquei mais pela indicação mesmo! =D

tony disse...

Ainda bem que é preciso que ele passe, para que percebamos (acertei?) o que nos e efetivamente relevante na vida. Por vezes a escravidão do presente nos torna míopes pra vida, e só vemos o que "nunca importara". O tempo passa pra mostrar o que fica. A vida passa pra nos ensinar o que levar.

[mais além volto cá pra ler os anteriores ;)]

otema ultima semana do ano, bjos!

Péricles Carvalho disse...

And so it is... The End! hehe

Passei por sensacoes parecidas logo antes de partir. E eh sempre tao complicado quando tudo termina, quando nos eh exigido o fim de um ciclo.

Vc transpos em palavras exatamente o que eu senti, hehe. Alias, o que senti e nao consegui escrever. Essa coisa de elaborar uma ideia depois que ``todos vao embora``...

bom, estarei sempre aqui e vc vai continuar pra sempre sendo minha madrinha facombiana!

bjus

Say disse...

O que uma ceia de natal não causa...por isso as pessoas deviam fazer mais encontros familiares durante o ano e não se prender apenas ao natal, assim esse tipo de sentimento seria evitado =]
Bom reveillon ju, que 2011 venha ilumidado p/ vc e as pessoas q te rodeiam. Bjins

tony disse...

Do "entre elas": tudo uma questão de cidade, data e salarios dos pais, não necessariamente nesta ordem =D.

Do "diálogos": já ligaram pra mim tentando um dialogo parecido com esse, hauaua... mas certas lembranças precisam ser postas em algum lugar para não caminharem conosco. Tornam-se mais bonitas, e até mais sinceras, quando nos compõe sem estar parte direta da gente. Outra interessante forma para definir-se feliz.

No mais, foi uma grata surpresa do meu 2010 achar esse cantinho e pessoa tão bacana como vc! Apesar de não haver nenhum outro contato além dos blogs e @´s, acredito ter conhecido um pouco do que você é pelo que escreve nestes locais, e gostei! Espero que nos proximos anos continuemos "nos encontrando" por aqui. Excelente 2011 pra ti, e sucesso na carreira de [agora] jornalista dip[r]omada e tudo o mais. Beijos!

João disse...

Alguns eventos daqueles ocorrendo, certo? Até eu que não sou exatamente perceptivo notei pelo texto

(btw, um feliz 2011, juliana)

Kakau4ever disse...

Sei bem como é esse sentimento, mas a vida passa e tudo vem novo! e assim vão restando as lembranças de tudo que foi bom. bjoks miga e feliz 2011

Thais disse...

tudo termina, mas sempre uma fase nova começa. as vezes dá saudades do passado, mas quando isso acontece, prefiro me focar mais no futuro.
beijos!

Postar um comentário

 
;