23 novembro, 2010

Mundo invisível




"Eu estava prestes a completar meus 19 anos, e como todas as mocinhas sonhadoras e aventureiras dessa idade que existem, havia me decidido a comemorar a data em grande estilo. Comprei novas roupas, combinei com minhas amigas, e deixei tudo preparado para o grande dia.


"Na época eu namorava com um rapaz muito bonito, não com o que acabei me casando, ele morava em outra cidade, e eu decidi que as comemorações não o envolveriam, era o dia das meninas. Ao cair da noite estávamos todas prontas para sair, vestidas, perfumadas, lindas, meu pai já estava à espera para nos levar a danceteria que havia inaugurado na cidade.

"E lá fomos nós. Dançamos por muito tempo. O combinado era dormirmos na casa de uma das minhas amigas que morava mais perto do lugar, e assim poderíamos nos deslocar sem problemas. Ao bater da meia-noite, que na época já era bem tarde, e sinal de que todos deveriam voltar para casa, resolvemos ir embora. Estávamos todas muito cansadas, e as camas nos chamando.

"Nos dirigimos para a porta, conversando, alegrinhas pelas bebidas que havíamos consumido, distraídas. Alguém me puxou pelo braço, e minhas amigas nem perceberam que eu havia ficado para trás. Quando olhei para ver quem era, tive a visão mais magnífica de toda minha vida.

"Ele era perfeito e real, afinal estava agarrado ao meu braço. Eu não acreditava, parecia que eu havia recebido um presente dos céus. Ele me pediu desculpas por me abordar daquela maneira, justificando que não havia pensado em outro modo, afinal eu estava o tempo todo cercada por uma turma de garotas. Eu nem conseguia esboçar qualquer reação, ele era fascinante.

"Nós começamos a andar em direção a saída e conversar. Ele me perguntou tantas coisas que comecei a ficar perdida nas respostas, afinal só eu estava falando, falando, e falando. Ele só ficava quieto ouvindo, e quando eu terminava meus discursos sobre meu relacionamento, sobre meus pais, sobre as guerras, sobre o dia ideal, ele me perguntava mais coisas. Nunca respondi tantas questões quanto naquele dia, ou madrugada, como acabei descobrindo, quando surpreendentemente paramos a porta da minha própria casa.

"Ele não me disse seu nome, e eu, perante o fascínio que ele exercia em mim, também não perguntei. Aliás, não me lembro de ter sequer feito uma pergunta àquele rapaz. Tenho sérias dúvidas quanto ao que aconteceu naquela noite, nós conversamos a noite toda, afinal quando liguei a luz de meu quarto e olhei no despertador que ficava em minha cabeceira já eram seis e meia da manhã. Do mesmo modo como ele surgiu como num sonho, se foi ao amanhecer.

"Ao contar para as meninas no dia seguinte, quando três delas apareceram à minha porta procurando por mim, afinal eu tinha desaparecido, e elas só notaram pela manhã, como se tivessem sido enfeitiçadas. Eu não dormi até a noite seguinte, fui praticamente obrigada a passar o dia todo contando da minha noite com o estranho.

"Diferente do que muitos pensaram na época, não aconteceu nada entre o desconhecido e eu, a não ser conversa, mas não aquela conversa casual. A conversa foi tão profunda, e tão interessante. Acho que nesse dia passei a me entender muito melhor, diante das coisas que ele me perguntava e me obrigava a pensar. Foi muito intrigante.

"Nunca mais vi aquele doce rapaz, e ninguém também. Aliás, ninguém, sequer, lembrou-se dele no dia seguinte. Ainda o encaro como um ser invisível. E durante as horas que passei com ele, também me tornei invisível... Invisível para o resto do mundo e totalmente visível para mim."

Após terminar seu breve relato, que não levou mais do que 15 min, a doce velhinha se levantou foi até a netinha, que já havia terminado com o corte de cabelo e se dirigiu à porta de saída do salão.

-beijosdacarochinha;*

10 comentários:

Carlinha disse...

Ai júuu, eu realmente amei a história!!
Que linda, pareceu tão real pra mim.

=**

Say disse...

Mto legal Ju, queria eu escrever bonito assim

Évelin disse...

gostei muito juh. esse ganhou o oscar. viajei aqui.

Kakau4ever disse...

Amo suas histórias, acho tão legal os beijos que deixa no final de cada post hehe...bjoks ^^

Say disse...

Aproveita pra comprar tb (Anne Rice), estão com preços muy amigos no Submarino =DDD

Priscila disse...

hahaha que fofo essa montagem!!!
O final foi surpreendente kkk
Parabéns, você escreve muitoo bem!!!

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Talentosa, essa é você!

Beijão, Juliana linda.

Rebeca

-

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Invisibilidade de um sentimento visto em palavras.

Beijo e beijo, menina querida.

Rebeca


-

Diego C. F. disse...

...Nossa q legal, eu vi tudo acontecer...kkkkkkkkkkk

Julio Cesar disse...

Nuuuu... me prendeu do inicio ao fim...

Tem maestria com as palavras.

Abraços!!

J.C

Postar um comentário

 
;